Pular para o conteúdo principal

Jerusalém por Rafaela Almeida


“Grande é o Senhor e mui digno de louvor,
Na cidade do nosso Deus, no seu monte santo.
Formoso de sítio, e alegria de toda a terra
é o monte de Sião sobre os lados do norte,
a cidade do grande Rei”
Salmos48 1-2



           Jerusalém é uma antiga cidade do Oriente Médio, geograficamente bem pequena, localizada nas montanhas da Judéia, entre o mar Mediterrâneo e o norte do Mar Morto, podendo ser observado aos arredores o crescimento da Jerusalém moderna. Declarada como capital de Israel, apesar de não ser reconhecida pela comunidade internacional, é a maior cidade de Israel com uma população aproximada de 740.000 mil habitantes. Ocupa um papel importante no cenário mundial, sendo de grande importância para religiões como o judaísmo, o cristianismo e o islã, as três religiões abraâmicas, considerada por estes como uma cidade santa. Não existe outro lugar de maior importância mundial como ela, é o local mais conflituoso do mundo, disputada por árabes, judeus e cristãos, ameaçando a paz mundial.
Muitos afirmam que a primeira referência à cidade de Jerusalém está em Gn14.18. “E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e este era sacerdote do Deus Altíssimo”. Salém era a cidade de Melquisedeque, o Rei da Justiça, na qual Abraão honrou-o com uma oferta, e aceitou a sua benção (Hb 7.1,2). Muitos a consideram com a Jerusalém primitiva. Quando o povo hebreu cruzou o Jordão para entrar na terra prometida, a cidade chamava-se “Jebus” (1Cr.11.4; Js 15.8), a principal cidade dos Jebuseus, um dos povos canaanitas. Ela não foi conquistada por Josué durante a conquista de Canaã e permaneceu em mãos dos cananeus até o tempo em que Davi chegou ao reino. Depois que se tornou rei, Davi liderou seu exército, conquistou Jebus, a chamou de “a cidade de Davi”, um dos nomes de Jerusalém na Bíblia e fez dela a capital de Israel (2Sm 5.5-7; 1Cr 11.4-7).

"Porém escolhi Jerusa­lém para que ali estivesse o meu nome; e escolhi a Davi para chefe do meu povo de Israel... Porém a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será firme para sempre" (2 Crônicas 6.6; 2 Samuel 7.16).

Apesar de ser considerada a terra do Maná pelas Escrituras, sob o ponto de vista econômico, tamanho, clima, localização estratégica e recursos naturais sempre foi considerada uma cidade comum, não possuindo nenhuma característica para recomendá-la. Seria impressionante se nações ao redor de Israel entrasse em conflitos com a mesma por uma causa econômica, já que essa terra não possui nenhum aspecto que possa despertar esse tipo de interesse. Israel não tem petróleo, ouro, carvão, diamantes e não tem grandes rios, quando comparados com o Nilo. O mesmo não se aplica no imaginário espiritual que Jerusalém representa nos homens. A razão para tantas guerras e disputas é por uma questão mais profunda. Israel é disputado por forças espirituais, por isso não encontramos respostas naturais para tal conflito, mas respostas espirituais. Deus escolheu Jerusalém para cumprir seu plano para humanidade, ela é considerada como um grande sinal de Deus ao mundo e de como será sua história.
Somente por meio da Bíblia, seja nos registros históricos ou nas afirmações proféticas, podemos encontrar respostas para entender as razões para Jerusalém despertar tanto interesse das nações. Estudando a historia e as profecias bíblicas ao seu respeito torna-se óbvio o que ela possui que causa uma atração espiritual irresistível em muitos povos e o que a diferencia de outras cidades do mundo.
São várias as passagens em que Jerusalém é mencionada nas Escrituras.

Mas escolhi Jerusalém para que ali seja estivesse o meu nome... Porque, agora,  escolhi e santifiquei esta casa [o Templo], para que o meu nome es­teja nela perpetuamente... Nesta casa e em Jerusalém, que escolhi dentre  todas as tribos de Israel, porei eu o meu nome para sempre.
2 Crônicas 6.6; 7.16; 33.7

Grande é o Senhor e mui digno de louvor na cidade do nosso Deus... Formoso de sítio e alegria de toda a terra é o monte Sião sobre os lados do Norte, a cidade do grande Rei... Deus a confirmará  para sempre.
Salmo 48.1-2,8

O Senhor te repreende, ó Satanás; sim, o Senhor que escolheu Jeru­salém, te repreende; não é este um tição tirado do fogo?
 Zacarias 3.2

Pois o Senhor elegeu  a Sião; desejou-a para sua habitação
 Salmo 132.13

Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, que se resseque a minha mão direita.
Salmo 137.5


Conversando com Deus, Salomão chamou Jerusalém de "a cidade que tu escolheste..." (1 Reis 8.44). As Escrituras a considera como “a Cidade de nosso Deus”, escolhida por Deus para cumprir o seu plano para a humanidade. Em Levítico 25.23 o Senhor declara “a terra não se venderá em perpetuidade, porque a terra é minha..." Em 1 Reis 8.1,11 a Bíblia diz que em Jerusalém, a  glória do Senhor encherá a casa do Senhor, a Cidade de Deus, a Cidade de Davi, que é Sião (1 Reis 8.1,11).
Apesar das evidências da posição que essa cidade ocupa no cenário mundial atual, muitos rejeitam sua real importância. Alguns a desconsideram por não acreditarem na Bíblia e assim rejeitam o plano de Deus. Outros, ainda continuam com a idéia de que a Igreja substituiu os judeus como o povo de Deus. Porém se alguém aceita ou não o papel ocupado por Jerusalém no cenário mundial atual, permanece o fato de que a única explicação satisfatória para essa situação encontra-se nas profecias Bíblias. Se a resposta Bíblica para essa questão é rejeitada, então não é possível encontrar outra explicação racional.
.
Nomes de Jerusalém

Quando Davi conquistou Jerusalém e fez dela sua capital, esta recebeu vários nomes como: Cidade de Davi (IRs2.10), “Sião” (2Sm.5.7); “Cidade Santa” (Ne.11.1); “a cidade de Deus” (Sl.46.4); “a cidade do grande Rei” (Sl.48.2); “cidade de justiça, cidade fiel” (Is.1.26); “a cidade do SENHOR, a Sião do Santo de Israel” (Is.60.14); “O SENHOR Esta Ali” (Ez.48.35) e “a cidade de verdade” (Zc.8.3). Salomão ao conversar com Deus chamou Jerusalém de “a cidade que tu escolhestes” (IRs8.44). Podem-se encontrar ainda os nomes: Cidade Eterna, Capital Eterna e Capital de Israel, esta última declarada pelo país apesar de não ser reconhecida como tal pelo resto do mundo.

Nova Jerusalém

Jerusalém também é considerada por Deus uma cidade de importância singular para os eventos dos últimos dias.
A bíblia diz que Jesus, o Messias, retornará a terra, porém dessa vez não como um Cordeiro a ser sacrificado, mas em glória e poder para estabelecer Seu Reino no trono de Davi, em Jerusalém. E aqueles que crerem em Jesus como o Salvador que morreu na cruz por nossos pecados, são perdoados por Deus e gratuitamente recebem a vida eterna.

Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade (Jerusalém celestial) pelas portas Ap 22.14.

Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá; gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus, e o meu novo nome Ap 3.12.
O nome de Deus, o nome da Cidade, e o nome de Cristo; é o mesmo, e o nome é Jesus.
De acordo com a bíblia a verdadeira Jerusalém, é a Igreja que está edificada e estabelecida nos céus, a cidade do grande Rei.

 Mas a Jerusalém lá de cima é livre, a qual é nossa mãe Gl 4.26.

A promessa de Deus é que no fim irá surgir uma nova terra, a nova Jerusalém, habitada por um novo povo e que durará para sempre. Esse fim será glorioso, seus habitantes viverão em alegria e somente dessa forma a verdadeira paz será estabelecida.

Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passa­ram, eo mar já não exixte... Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.
 Apocalipse 21.1-4

 Mas tendes chegado ao monte Sião e à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de anjos, e à universal assembléia e a igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados Hb 12 22-23

A paz mundial que o mundo tanto procura só poderá ser estabelecida pelo “Deus da paz”. A Bíblia afirma que a paz deve estar em harmonia com a justiça "A justiça e a paz se beijaram" (Salmo 85.10). A chave para a paz mundial é a paz em Jerusalém. E essa paz não será estabelecida por acordos entre lideranças internacionais ou “tratados de paz”, como já foram feitos e sem resultados satisfatório. Todos os esforços pela paz até agora não tiveram as respostas esperada, mas de acordo com a Palavra de Deus sabemos que Deus tem um plano para judeus, árabes e toda a humanidade. A paz será estabelecida por Deus na Terra prometida.
E nós podemos ter a oportunidade de participar do plano de Deus em tranformar sua promessa em realidade. Quando entendemos o que a Bíblia diz sobre a real importância de Jerusalém e nos posicionamos e oramos para que a Paz seja estabelecida em Jerusalém.

"Orai pela paz de Jerusalém! Sejam prósperos os que te amam" Sl 122.6.

Referências Bibliográficas

Comentários

fabiano disse…
Muito obrigado, encontrei nesta postagem o que estava procurando.
Fabiano dos Santos.

Postagens mais visitadas deste blog

A COSMOGONIA BÍBLICA/ A CRIAÇÃO

A cosmogonia trata da origem e da evolução do universo, ou seja, sua função é descobrir como surgiram a terra e os demais planetas e astros. Vamos ver como  as pessoas da antiguidade encaravam a questão da origem do universo. a) Acadianos, sumérios e babilônios Os povos que habitava a antiga mesopotâmia, elaboraram uma teoria composta entre o terceiro e o segundo milênio antes de Cristo diz que os deuses travaram batalhas com as forças desagregadoras. Destas lutas teriam surgido os céus, a terra, o mar, os animais e o ser humano. b) Gregos Mais desenvolvidos cientificamente que os povos da antiguidade, tiveram vários filósofos com diferentes posicionamentos. * Anaximandro – ensinava que o mundo teve origem de uma substância indefinida: apeíron, em grego, sem fim. * Tales de Mileto – segundo ele tudo veio da água. Foi levado a ter este posicionamento depois de verificar a presença da água em todas as coisas. * Anaxímenes de Mileto – afirmava ser o ar o princípio de tudo. Argumentava que tudo d…

PORQUE ESTUDAMOS GEOGRAFIA BÍBLICA

O homem tem uma necessidade muito forte de determinar uma concepção de espaço. Por isso sempre pergunta: onde exatamente se deu este fato? Onde começou? E onde será o término de tudo? Para responder estas questões precisamos unir ao estudo da história, o estudo da Geografia, situando cada fato em seu respectivo contexto, buscando informações em cada sítio arqueológico, teremos uma idéia ampla e clara do habitat bíblico. Atualmente a Geografia não se limita apenas a descrever lugares, climas, vegetações, hidrografias; propõe-se a explicar os fatos e suas diversas relações. Podemos então definir Geografia como descrição sistemática e ordenada da superfície da terra e meio de pesquisa das relações entre o meio natural e os diversos grupamentos humanos. O estudo da Geografia Bíblica permite o conhecimento das diferentes áreas da terra relacionadas com os fatos narrados nas Escrituras, dando-lhes mais consistência e autenticidade, auxiliando na interpretação e compreensão dos fatos bíblicos, d…

Macabeus, sua história, conquistas e a Festa de Chanuká (Dedicação)

Maria Dolores Moreira
Alexandre, o Macedônio, após vencer Dario rei dos persas e dos medos tornou-se rei em seu lugar e a partir de então empreendeu numerosas guerras avançando às extremidades da terra submetendo assim nações, províncias e soberanos os quais se tornaram seus tributários. Depois disto Alexandre adoeceu e percebendo que iria morrer convocou seus oficiais e nobres que com ele conviveram desde sua mocidade e repartiu entre eles seu império. Cada qual se apossou do que recebera e sucessivamente seus respectivos filhos. De um deles originou Antíoco Epifanes. Este quando se viu consolidado em seu trono, resolveu também apoderar-se do Egito a fim de reinar sobre dois reinos, travou batalha contra Ptolomeu o qual recuou e fugiu. Vencendo porém o Egito no ano 143 AC, em sua volta subiu contra Israel e Jerusalém.  Entrou porem com arrogância no Santuário e tomou seus utensilios sagrados, partindo assim para seu país. Por este motivo um grande clamor foi levantado em toda nação de I…