quinta-feira, 8 de dezembro de 2011


Descanso: você está fazendo isso muito errado...

Fim de ano...

Geralmente, esta é uma época de férias para muitos ou, pelo menos, é o conceito generalizado encontrado por aí. Nesses dias, uma das expressões mais comuns encontradas é "estou cansado"... e realmente a maioria procura viajar ou ir para lugares distantes de sua rotina diária. Há, no entanto, um porém...

Dentre tantos assuntos comuns nesta época, quero destacar um em especial: o cansaço. O termo férias invariavelmente está conectado aocansaço experimentado por muitos (ou todos nós...). Entretanto, se nos detivermos um pouco mais sobre o tema, iremos verificar que o remédio para o cansaço nem sempre é as férias. Afinal de contas, no que se pensa quando se está afadigado? Férias! Tem-se o conceito de que, para descansar de algo, basta parar de fazer aquilo que me cansa...certo? Nem sempre.

Quantos voltam do período de férias e, dias depois, estão esgotados? Sem força mental para continuar em frente? Por que isso acontece? Quem disse que o cansaço tem relação com aquilo que fazemos?

Alguns declaram que estão cansados por trabalhar demais...outros por não trabalharem! Então...fazer cansa? Sim! E não fazer? Cansa também...

Interessante.

Alguns exclamam: "estou cansado de ficar sozinho!", ao passo que outros dizem estar cansados da esposa ou do marido...então, estar só cansa, e estar casado também? Me responda uma coisa:como é que alguém que está cansado de estar só descansa? Colocando alguém do seu lado? E quem está cansado de ter alguém do seu lado? Mandando o outro embora? Não é interessante?

Uns reclamam do cônjuge por ele estar sempre ocupado e apressado...outros pelos respectivos não fazerem nada, não terem iniciativa...e aí, estar ocupado cansa? E ter tempo livre cansa também?

E aqueles que reclamam estarem cansados da vida? "rapaz, estou cansado da vida que eu vivo..."mas ao mesmo tempo tem medo de morrer. Como é que alguém que está cansado da vida descansa? Tirando sua própria vida ?

Alguns buscam mudar o visual. Cansaram do que veem no espelho. Tingem o cabelo, cortam, alisam, encrespam...e depois de algum tempo, continuam cansados. Eram cansados feios...tornaram-se cansados bonitos!

Outros buscam um novo emprego. Pedem as contas, e de cansados empregados tornam-se cansados desempregados...

Quantos já ouviram esta pergunta - e aí, descansou? - depois de um período de férias?

Cansaço, cansaço, cansaço...

Ufa! Só de escrever cansaço já deu uma "canseira"...

Depois de tanta "canseira", onde podemos realmente achar descanso para nossas almas?

Antes de tratar do que fazer, vamos ver um exemplo do que não fazer. Veremos exatamente o caminha trilhado pela grande maioria, e ficará óbvio o fracasso em buscar descanso nos lugares errados. Acompanhe comigo:

Salomão em seu trono
Salomão, que reinou em lugar de seu pai Davi, disserta, entre outras coisas, sobre sua busca por descanso no livro de Eclesiastes (escrito no período final de sua vida). É muito interessante observar a abordagem que ele dá ao tema, pois parte do ponto de vista de si mesmo e dos resultados das experiências que teve. O primeiro capítulo, no versículo dois, já traz uma introdução bem animadora do assunto:

Coisas inúteis e mais inúteis!, - diz o Pregador - Coisas inúteis e mais inúteis! Tudo é inútil!

Trocar de emprego é inútil...trabalhar demais é inútil...ir para o salão de beleza, trocar o carro, ficar sem fazer nada....é inútil! Trocar de esposa ou marido? Aí é pecado mesmo!

Dentro do contexto trazido pelo autor, sigamos a leitura até o versículo nove:

"Que proveito tem o homem de todo o seu trabalho que ele trabalha abaixo do sol?  Geração vai, e geração vem; porém a terra permanece para sempre.  O sol nasce, e o sol se põe; e se apressa ao seu lugar onde nasceu.  O vento vai ao sul, e rodeia para o norte; continuamente o vento vai rodeando e voltando aos lugares onde circulou.  Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar onde os ribeiros correm, para ali eles voltam a correr.  Todas estas coisas são tão cansativas, que ninguém consegue descrever; os olhos não ficam satisfeitos de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir.  O que foi, isso será; e o que se fez, isso será feito; de modo que nada há de novo abaixo do sol". Ec 1.3-9

É...não creio que Salomão pudesse ganhar a vida com palestras motivacionais! Ele trata aqui do cotidiano, da rotina diária. De quando acordamos todos os dias no mesmo horário, fazemos as mesmas coisas, ouvimos as mesmas desculpas esfarrapadas de sempre, as mentiras, a futilidade, o trânsito...semana após semana, mês após mês, ano após ano...

Como você acha que ele se sentia? Exatamente como nós: cansado...

Ele vai então trilhar o caminho que muitos fazem: colocar a mochila nas costas e vazar! Fui! Será esta a resposta?

"Disse a mim mesmo: experimentarei o prazer e verificarei o que é alegria." Ec 2.1a

Ele disse isso a si mesmo provavelmente por estar se sentido só. Em outras palavras, está dizendo: "quer saber? Vou sair mesmo, vou prá (sic) balada..." . Em nossos dias, Salomão iria se tornar um frequentador de boates, bailões e afins...

O resultado?

" ...eis, porém, que também aí só encontrei futilidade. Em relação ao riso, concluí: é loucura! - e em relação à alegria me perguntei: a que conduz?

O que ele encontrou? Mais inutilidade...depois das luzes desligadas, do silêncio...sobrou a ressaca e o cansaço."é bobagem" - ele diz - "risos fúteis de nada servem"...

E ele continua:

"Procurei deliciar meu coração com o vinho, mantendo ao mesmo tempo a sabedoria e insensatez, a fim de descobrir o que, para os filhos dos homens, é melhor para se praticar debaixo do sol, durante o tempo de suas vidas". Ec 2.3

Em termo bem popular, Salomão "encheu a cara"! Todo bêbado parece alegre....mas a ressaca veio, a dor de cabeça e a realidade continuavam ali. E o que ele busca então?

"Fiz para mim obras grandiosas; construí casas para mim; plantei vinhas para mim. Fiz para mim pomares e jardins; e plantei neles árvores de toda espécie de frutos. Fiz para mim tanques de águas, para regar com eles o bosque em que se plantavam as árvores. Adquiri escravos e escravas, e tive escravos nascidos em casa; também tive grande rebanho de vacas e ovelhas, mais do que todos os que houve antes de mim em Jerusalém". Ec 2.4-7

Bom, agora Salomão torna-se um workaholic. Trabalhar, trabalhar e trabalhar...se o tal "deixa a vida me levar" não adiantou, quem sabe empreender grandes realizações? Obras faraônicas? Acumular riquezas? E ele acumula, acumula (...acumulei também prata e ouro, e províncias...), mas....NADA! O seu interior continuava o mesmo! E agora? Bom, que tal trocar o cd?

 "...reservei para mim cantores e cantoras..." (verso 8b) 

Hum....mudar a trilha sonora...ouvir outras coisas. Vistar museus, exposições de arte, ir ao cinema? E quem sabe...

"...e dos prazeres dos filhos dos homens: várias mulheres". (verso 8c)

Concubinas em grande número. Mulheres, orgias. Se isso resolvesse, ele estaria mais que feliz! Ele teve 1000 mulheres...mas quer saber? Nada novamente! 

Percebeu? Os métodos "modernos" de saciar a alma - noitadas, bebida, trabalho em demasia, prostituição - não podem e nunca poderão trazer o descanso que precisamos. Porque este descanso que tratamos aqui não é físico e nem psicológico...é da alma!

Sabendo disso, Jesus nos ensina que:

"Vinde a mim todos os que estais cansados, e carregados, e eu vos farei descansar. Tomai sobre vós meu jugo, e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para vossas almas". Mt 11.28,29


Algumas lições importante aprendemos aqui:

1 - o cansaço é uma realidade para todos nós: independente de origem, profissão ou classe social. Desde que o pecado entrou nesta terra, "...do suor do teu rosto comerás o pão..." (Gn 3.19). Sendo o cansaço uma realidade, temos então a segunda lição:

2 - ir a Jesus e tomar seu jugo: Há, no grego, um imperativo aqui (Ελθετε venha! ) que nos mostra a força deste convite. Não é algo despretensioso, mas quase que uma ordem para seus ouvintes: Venham! Jesus usa o exemplo pastoril de dois bois ligados entre si por uma canga, ou jugo. Isso facilitava o trabalho dos animais, pois era mais fácil suportar o trabalho e cansava menos. Temos, em Jesus, uma provisão de força onde podemos vencer os ventos contrários que procuram nos impedir de seguir em frente.

3 - aprender de Jesus: aprender aqui (μαθετε) traz aceitar o próprio Cristo, rejeitando a existência antiga e começando uma nova vida como discípulo dEle. Não se trata aqui de um aprendizado intelectual. É trazer para o âmago do homem a humildade e mansidão, contrários à natureza egoísta e pecaminosa do velho homem. É tornar-se um discípulo de Jesus em Sua essência...

4 - aprender a descansar nEle: Mateus usa aqui uma palavra grega (αναπαυσει) que tem o conceito de pausa. Jesus, então, nos chama para um momento de descanso em meio às atividades. Lembra de Marta e Maria? O problema de Marta não era trabalhar, mas trabalhar no hora errada! Existem momentos de pausa, onde devemos deixar nosso cotidiano de lado para focar em outra coisa - aqui, no ensino do Salvador. Qual a última vez que você realmente conseguiu para tudo o que estava fazendo e descansar? Quando foi a última vez que você passou algum tempo na presença de Deus, desfrutando de Sua companhia?

Deus está dizendo: quer vencer o cansaço? Descubra o foco dele!". E onde ele se aloja? Na alma (psiquê). Por isso ações e fatores externos não conseguem trazer o descanso. Se o cansaço é dentro, não há mulher, carro, posses ou dinheiro que resolva! Jesus sabia que o ser humano tende ao cansaço, e mais ainda, busca suprir de descanso a alma onde não há provisão para tal.

E por último: lembre-se da conjunção aditiva "e" na sentença de Jesus:

"Tomai sobre vós o meu jugo, E aprendei de mim...E achareis descanso para vossas almas"


Em Cristo,

Daniel*

Daniel Ben Yossef - blog Diário de Treinamento

Nenhum comentário: